Últimos assuntos
» Vendendo o Impossível
Seg Ago 06, 2012 3:53 am por dirigailo

» Nomes e Adjetivos
Qui Jun 09, 2011 3:27 am por Convidado

» Avenida Complicada
Sab Maio 28, 2011 4:50 pm por Convidado

» como vender uma geladeira no alaska
Sab Abr 16, 2011 7:21 pm por Convidado

» Abrigo Subterrâneo
Ter Dez 28, 2010 4:08 am por Convidado

» ordem correta
Dom Set 19, 2010 4:35 am por Convidado

» dinamica de aquecimento
Ter Dez 29, 2009 11:27 pm por Convidado

» Dez lições curiosas de oratória
Ter Dez 29, 2009 9:41 pm por isaacduarte

» Táticas para interagir com os ouvintes
Ter Dez 29, 2009 9:41 pm por isaacduarte

Setembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 50 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de dina Andrade

Os nossos membros postaram um total de 188 mensagens em 159 assuntos
Quem está conectado
2 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 2 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 44 em Seg Fev 06, 2012 2:54 am

Dinâmicas para Que as Quero

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Dinâmicas para Que as Quero

Mensagem por Admin em Qui Out 09, 2008 11:58 pm

Publicado em: 29/9/2006
ENCAMINHADO POR:Gisela Kassoy - Suporte à Inovação Contínua
55 11 3885-0441
www.giselakassoy.com.br



Segundo Lewin o canal Cognitivo é o do aprendizado racional, obtido por meio de informações e dados. O canal da Conduta envolve a prática. Valores abarca o nível emocional, o envolvimento, bem como a descoberta e renovação de nossas crenças e paradigmas. A porta de entrada para este último canal é a dinâmica de grupos.

Para Lewin, não importa onde o aprendizado inicia, e é mais interessante que ele comece onde houver mais receptividade.

Por outro lado, ao se analisar as dinâmicas sob a ótica do americano David Kolb – criador da Teoria da Aprendizagem Experimental , o processo de aprendizado se realiza em quatro etapas (Vivência, Observação, Conceituação e Experimentação), percebe-se que as dinâmicas também propiciam Vivências, só que metafóricas.

As dinâmicas sempre oferecem um cenário externo às tarefas corriqueiras dos participantes. O descompromisso com a tarefa faz com o que o participante dedique mais atenção ao processo, daí o aumento das chances de aprendizado. Mas é importante que a Observação e a Conceituação também se realizem – e de preferência imediatamente após a dinâmica, caso contrário o aprendizado gerado pela vivência pode evaporar.
As dinâmicas oferecem outras vantagens, como a integração sócio-afetiva. Criar, divertir-se e descobrir em grupo acaba por gerar uma maior abertura para as trocas vindouras.

Mas nem tudo são flores quando se fala em dinâmicas: é preciso saber aplicá-las e, sobretudo é preciso considerar o perfil do grupo com o qual se está atuando: Qual é a cultura da empresa? Ela é receptiva ou não a dinâmicas? Qual o grau de exposição que as pessoas estão acostumadas? Nenhuma das condições nos obriga a eliminar as dinâmicas, mas sim a usá-las de formas diferentes. Por exemplo, é possível solicitar aos participantes que compartilhem seus insights com o grupo todo (o que envolve muita exposição), em subgrupos, em duplas ou que os escreva individualmente (o que diminui a exposição gradativamente).

Mas vamos ao aspecto mis importante: dinâmicas são prazerosas. E como é mais fácil obter dedicação daquilo que dá prazer, gera resultados.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 158
Data de inscrição : 09/10/2008

Ver perfil do usuário http://treinamento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum