Últimos assuntos
» Vendendo o Impossível
Seg Ago 06, 2012 3:53 am por dirigailo

» Nomes e Adjetivos
Qui Jun 09, 2011 3:27 am por Convidado

» Avenida Complicada
Sab Maio 28, 2011 4:50 pm por Convidado

» como vender uma geladeira no alaska
Sab Abr 16, 2011 7:21 pm por Convidado

» Abrigo Subterrâneo
Ter Dez 28, 2010 4:08 am por Convidado

» ordem correta
Dom Set 19, 2010 4:35 am por Convidado

» dinamica de aquecimento
Ter Dez 29, 2009 11:27 pm por Convidado

» Dez lições curiosas de oratória
Ter Dez 29, 2009 9:41 pm por isaacduarte

» Táticas para interagir com os ouvintes
Ter Dez 29, 2009 9:41 pm por isaacduarte

Setembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 50 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de dina Andrade

Os nossos membros postaram um total de 188 mensagens em 159 assuntos
Quem está conectado
2 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 2 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 44 em Seg Fev 06, 2012 2:54 am

Táticas para interagir com os ouvintes

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Táticas para interagir com os ouvintes

Mensagem por isaacduarte em Ter Dez 29, 2009 9:41 pm

Para interagir com os ouvintes, alguns palestrantes têm usado táticas de comunicação que mais parecem instrumentos de tortura. Com a intenção de melhorar o resultado de suas apresentações fazem perguntas de forma tão grosseira que deixam platéias inteiras com os nervos à flor da pele.

Com poucas variações a cena se desenvolve mais ou menos assim: o sabichão chega diante do público e começa a fazer perguntas como se estivesse comandando um interrogatório. Geralmente inicia com um rápido comentário sobre o tema e parte para o ataque.

Diz, por exemplo, vamos ver o que vocês entendem por planejamento estratégico. A partir daí dá início à fase das execuções. Olha bem nos olhos da vítima sentada na primeira fileira e sem nenhuma sutileza formula a pergunta: 'O que é planejamento estratégico para você?'

Apanhado de surpresa, o ouvinte, meio sem jeito, arrisca uma tímida resposta tentando se lembrar dos conceitos aprendidos na faculdade, ou em algum livro de administração para não administradores. O palestrante faz aquela cara de quem já esperava tamanho despreparo e sentencia: nãnaninanã, não é nada disso não.

Com ar satisfeito, como se acabasse de colocar mais uma marca no coldre, volta-se para outro ouvinte sentado lá no fundo da sala e repete a mesma pergunta. E depois de ouvir a resposta, mais uma vez com a fisionomia que demonstra impaciência, mas que não esconde o sorriso de triunfo, passa o mesmo veredicto.

E assim, sem dó nem piedade vai executando vítima por vítima, que ali indefesas, constrangidas, diante de colegas da mesma empresa, ou da mesma profissão, como se fossem iniciantes desinformados vão sucumbindo e se desmoralizando.

No final, depois de repetir meia dúzia de vezes a mesma pergunta, que são acompanhadas do mesmo número de respostas e de igual quantidade de nãnaninanãs, o algoz projeta uma colorida e sofisticada tela com o conceito que julga ser a melhor definição de planejamento estratégico.

Só que se o conceito formulado pelo palestrante for bem observado,será possível constatar que ele não difere muito das respostas dos ouvintes que foram reprovadas. Age assim para tentar uma tese que fica subentendida - vejam como tenho muito a ensinar.

Envolver as pessoas para que possam participar e se interessem pelo assunto é um recurso excepcional para o bom resultado de uma palestra. Entretanto, fazer perguntas à platéia apenas com o objetivo de mostrar que os ouvintes não conhecem o assunto e que terão muito a aprender com o palestrante, pode criar uma atmosfera negativa e tornar o público resistente.

Se você desejar interagir com as pessoas fazendo perguntas, vá em frente, mas proceda de forma diferente, mais vantajosa e com melhores chances de sucesso. Valorize qualquer informação que os ouvintes usem como resposta.

Faça perguntas e aproveite a resposta adaptando-a ao conteúdo de sua mensagem. Vamos imaginar um exemplo bem exagerado. Suponha que depois de questionar a platéia sobre o conceito de marketing alguém dissesse que é uma venda no atacado.

Até uma resposta absurda como essa poderia ser aproveitada para dar sequência a sua palestra. É evidente que você não poderia elogiar a resposta, pois os ouvintes perceberiam a falta de sinceridade e sua credibilidade ficaria comprometida.

Sem criticar o ouvinte, você poderia dizer que um dos recursos mais importantes para viabilizar vendas no atacado é uma política de marketing bem planejada. Você não estaria dizendo que a resposta está correta, mas o fato de continuar sua exposição a partir da informação do ouvinte iria respeitar a imagem e a posição dele diante das outras pessoas.
Essa atitude simpática mostraria sua preocupação e respeito para com a
imagem das pessoas, motivaria os outros ouvintes a participarem com respostas e sugestões e produziria um ambiente mais favorável e útil ao sucesso de sua apresentação.



SUPERDICAS DA SEMANA

Faça perguntas para interagir com os ouvintes


Não faça perguntas só para demonstrar que sabe mais que os ouvintes

Se fizer perguntas, procure sempre valorizar as respostas dos ouvintes

Ao valorizar uma resposta você motivará outros ouvintes a participar

isaacduarte

Mensagens : 9
Data de inscrição : 13/05/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum